Grávida!

Neste momento batem dois corações dentro de mim, e essa é a sensação mais maravilhosa que já pude sentir. Uma explosão de emoções e sentimentos que vão desde a euforia, o encantamento, ao receio, o medo, porém estes últimos por si só vão embora, pois a alegria fala mais alto, (...)

Grávida! Grávida!

Meu mundo é...

AZUL, VERde, marrom... cheio de pipas, ursos e carrinhos!!!É isso aí, quem anda fazendo cócegas na minha barriga é um menino gostosinho que não hesitou em ir logo abrindo as pernocas e desvendar de vez esse mistério!(...)

Meu mundo é... Meu mundo é...

O quarto do Caleb!

Finalmente o quartinho do Calê ficou pronto! Desde janeiro que eu e meu marido estávamos trabalhando nele, o marido cuidou da reforma e eu da decoração, juntos, escolhemos e fizemos tudo com muito amor e carinho para receber nosso filho(...)

O quarto do Caleb! O quarto do Caleb

Caleb Nasceu!

No dia 10 de maio às 14:42h meu milagre veio ao mundo! De parto cesário, pesando 3,100kg e 48cm de pura gostosura e saúde!O Caleb é um doce de menino, dorme feito anjo a maior parte do tempo, só chora para mamar e mais nada! Uma benção de bebê! Estou MUITO feliz e amando minha vida de mamãe!(...)

Caleb Nasceu Caleb Nasceu

O relato do parto

Então, vamos ao dia mais importante da minha vida ! Bem, começo falando sobre a semana anterior, a semana 38, onde tive consulta e uma conversa franca sobre parto com o médico(...)

O relato do parto O relato do parto

sábado, 27 de agosto de 2011

Ele Rolooouuuu!!!!

Posted by Caroline Ferreira | 3 comentários
Gente o Caleb (com 3 meses e meio) rolou pela primeira vez ontem!
Manhãs atrás fiquei super confusa quando acordei e me deparei com meu filhote dormindo de bruços, até ontem acreditava que eu mesma tinha o colocado nesta posição sem perceber depois da mamada da madrugada... que nada, ele rolou sozinho!!!
Ah, eu fiquei feliz demais e super empolgada com a novidade! A cena foi hilária com minha mãe, eu e nossa gritaria na torcida por ele rsrs Apoio moral não faltou! O mais engraçado é que ele ainda não sustenta a cabecinha direito e depois de rolar fica batendo ela feito um 'pica-pau' contra a cama desesperado tentando rolar de volta! hahaha
Sei que agora é atenção e cuidado redobrado pelo meu bebê precoce pois é só colocá-lo na cama que ele já quer praticar a nova conquista!
Estamos passando por um salto de desenvolvimento longo e chatinho, mas depois desses saltos sempre "rola" rs algo novo, e esse até então foi o mais recompensador!
Beijos

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Fases de crescimento e desenvolvimento que modificam o sono do bebê e da criança.

Posted by Caroline Ferreira | 2 comentários
Encontrei este artigo no Guia do Bebê, é enorme mas gostaria de compartilhar aqui no blog:
O desenvolvimento e o crescimento do bebê no primeiro ano e além podem provocar alterações no seu sono. Veja como saltos de desenvolvimento, picos de crescimento e angústia de separação podem interferir no sono. Desenvolvimento do Bebê
O primeiro ano da criança é uma fase de mudanças extraordinárias para toda a família. Esse período é excitante e desafiador, quando bebês aprendem a comunicar suas necessidades e pais aprendem como atendê-las.
Você pode pensar que o desenvolvimento do seu bebê (como aprender a rolar, engatinhar e andar) e seu crescimento não tem nada a ver com o sono, mas a verdade é que caminham juntos! Abaixo uma descrição dos fenômenos chamados saltos de desenvolvimento, picos de crescimento e angústia de separação.
Saltos de desenvolvimento
Saltos de desenvolvimento são aquisições de habilidades funcionais específicas que ocorrem em determinados períodos. O ritmo de desenvolvimento não é constante: há alguns períodos de desenvolvimento acelerado e outros onde há uma desaceleração.
Toda vez que seu bebê desenvolve uma nova habilidade, ele fica tão excitado e obcecado com a conquista que a quer praticar o tempo todo, inclusive durante o sono. Em outras palavras, um dos ‘efeitos colaterais’ desse trabalho todo que o cérebro dos bebês está fazendo é que eles não dormem tão bem quanto o fazem em períodos que não estão trabalhando em dominar uma nova habilidade. Eles podem até resistir às rotinas já estabelecidas.
No período que imediatamente antecede o chamado salto de desenvolvimento, o bebê repentinamente pode se sentir perdido no mundo, pois seus sistemas perceptivo e cognitivo mudaram, houve uma maturidade neurológica, mas não tempo hábil para adaptação às mudanças. Então o mundo lhe parece estranho, e o resultado da ansiedade gerada é geralmente desejar voltar para sua base, ao que já lhe é conhecido, ou seja, a mamãe! Em vista disso, é comum ficarem mais carentes, precisando de mais colo, e com frequência há também alterações em seu apetite e sono.
Então, nessas fases, é preciso apenas ter um pouco de paciência e empatia com o bebê - depois do processo de aquisição da nova habilidade (como rir, engatinhar, sentar, interagir, andar) o bebê dá um salto no desenvolvimento e demonstra felicidade com o final da ‘crise’. Ou seja, por um lado, o bebê fica feliz com a nova habilidade e independência que vem junto, e já é capaz de se afastar um pouco da mamãe. Por outro lado, sente angústias e receios com essa nova situação. Isso lhe traz sentimentos dúbios: é como uma ‘dança louca’ entre separação e apego, onde o bebê irá flutuar entre os dois por um período.
A duração de cada salto é variável, mas geralmente depois de algumas semanas a fase difícil passa e tudo volta à normalidade. Bebês e crianças precisam de cuidados amorosos, empatia e novas experiências, e não de brinquedos caros. Fale com seu bebê, cante, brinque com ele, leia para ele. São atividades chave para o desenvolvimento do cérebro. Os saltos no desenvolvimento não cessam na infância, mas continuam até a adolescência. (1-2).
Essas aquisições ocorrem em vários aspectos: desenvolvimento motor (aprender a usar grupos de músculos para sentar, andar, correr, ter equilíbrio corporal, mudar de posições e outros), desenvolvimento do controle motor fino (usar as mãos para comer, desenhar, se vestir, tocar um instrumento, escrever, e tantas outras coisas), linguagem (desenvolvimento da fala, uso de linguagem corporal e gestos, comunicação e entendimento do que outros dizem), desenvolvimento cognitivo [nos dois primeiros anos de acordo com Piaget ocorre o desenvolvimento sensório-motor, que inclui habilidades de pensamento como aprendizado, entendimentos, resolução de problemas, raciocínio e memória (3)] e desenvolvimento social (interagir e se relacionar com familiares, amigos e professores, mostrar cooperação e empatia).
Certa variação entre crianças é esperada, mas uma cronologia observada experimentalmente dos períodos de saltos de desenvolvimento é a seguinte:
- 5 semanas (1 mês): a visão do bebê melhora, ele consegue ver padrões em branco e preto, passa a se interessar mais pelo ambiente que o rodeia e consegue seguir objetos brevemente com os olhos. Passa ficar acordado por períodos um pouco maiores (cerca de 1 hora ou pouco mais entre as sonecas). É também nessa época que bebê começa a chorar com lágrimas e sorrir pela primeira vez ou com mais frequência do que antes.
- 8 semanas (quase 2 meses): diferenças nos sons, cheiros e sabores ficam mais perceptíveis. Ele percebe que as mãos e os pés pertencem ao corpo e começa a tentar controlar estes membros. O bebê começa também a experimentar com sua voz. É também nessa fase que o bebê começa a mostrar um pouco de sua personalidade: é agora que os pais começam a reparar quais coisas, cores e sons o bebê gosta mais. Depois desse salto o bebê vai poder virar a cabeça na direção de algo interessante e emitir sons conscientemente. Todas essas novas experiências trazem insegurança ao bebê que provavelmente procura mais o conforto do peito da mãe. Isso pode deixar a mãe preocupada se produz leite materno suficiente, o que não procede, já que a produção se ajusta à demanda (ver abaixo também sobre picos de crescimento).
- 12 semanas (quase 3 meses): o bebê descobre mais nuances da vida: nessa idade o bebê já pode enxergar todo um cômodo da casa, vira-se quando ouve sons altos, e consegue juntar suas mãos. Vai observar e mexer no rosto e cabelo dos pais e vai perceber que pode gritar. Depois do salto o bebê praticamente não vai mais precisar de apoio para manter a cabeça erguida. Como nos outros saltos, os pais são o porto seguro do mundo do bebê e ele se apoia nisso. Ele pode começar a reagir de maneira diferente fora de casa ou no colo de um estranho. Ao mesmo tempo que o bebê tem uma grande curiosidade em reparar no mundo que o rodeia, ele também é muito sensível às novidades e por isso se sente mais confortável e seguro nos braços dos pais.
- 19 semanas (4 meses e meio): por volta da 14ª. até a 17ª. semanas o bebê pode parecer mais ‘impaciente’. Esse é um dos saltos mais longos: dura cerca de 4 semanas, podendo porém se estender por até 6 semanas. O bebê chora mais, apresenta mudanças extremas de temperamento e quer mais atenção e colo. Consegue alcançar e pegar um brinquedo, sacudi-lo e colocá-lo na boca, passá-lo de uma mão para outra. Pode ganhar o primeiro dente. Os sons que o bebê emite se tornam mais nítidos e complexos, consegue fazer alguns sons como ‘baba’, ‘dada’. Tudo cheira, soa e tem gosto diferente agora. Dorme menos. Estranha as pessoas e busca maior contato corporal quando está sendo amamentado. Depois desse salto o bebê vai poder virar de costas e de barriga para baixo, e vice-versa, se arrastar pra frente ou pra trás, olhar atentamente para imagens num livro; reagir ao ver seu reflexo no espelho e reconhecer seu próprio nome.
Esse é um dos saltos de desenvolvimento mais significativos e em que um maior número de mães costuma relatar alterações no sono. Provavelmente porque o padrão de sono parecia entrar num ritmo desde que o bebê nasceu, e essa alteração é vista como uma ‘regressão’, na qual o bebê tende a acordar bastante por algumas semanas enquanto está trabalhando no salto. E uma vez que esse salto está completo há somente 1 ou 2 semanas antes de começar a trabalhar no próximo (das 26 semanas), é um longo período de sono ruim e bebê irritado nesse estágio da vida.
- 26 semanas (6 meses): Já na 23ª semana o bebê parece se tornar mais ‘difícil’. Ele busca maior contato corporal durante as brincadeiras. O bebê já consegue coordenar os movimentos dos braços e pernas com o resto do corpo. Senta sem apoio e põe objetos na boca. Nessa idade ele começa a entender que as coisas podem ficar dentro, fora, em cima, embaixo, atrás, na frente, e usa isso em suas brincadeiras. Ele passa a entender que quando a mamãe anda, ela vai se afastar e isso o assusta, então reclama quando a mãe sai de perto. Depois desse salto o bebê vai ficar interessado em explorar a casa, armários, gavetas, achar etiquetas, levantar tapetes para olhar o que tem embaixo. Ele se vira para prestar atenção nas vozes, consegue imitar alguns sons, rola bem em ambas direções e começa a se apoiar em algo para ficar de pé. Adquire maturidade para receber alimentos sólidos. Essa fase pode durar cerca de 4-5 semanas.
- 30 semanas (7 meses): o bebê tenta se jogar adiante para alcançar objetos, bate um objeto em outro. Pode começar a engatinhar, a falar algumas sílabas e entende melhor o conceito de permanência das coisas. Pode fazer sinal de tchau. Sente ansiedade com estranhos.
- 37 semanas (8 meses e meio): o bebê fica ‘temperamental’, tem mudanças frequentes em seu humor, de alegre para agressivo e vice-versa, ou de exageradamente amoroso para ataques de raiva em questão de momentos. Chora com mais frequência. Quer ter mais atividades e protesta se não as tem! Não quer que troquem sua fralda, chupa seus dedos. Protesta quando o contato corporal é interrompido. Dorme menos, tem menos apetite, movimenta-se menos e “fala” menos. Às vezes senta-se quieto e sonha acordado. O bebê agora começa a explorar as coisas de uma forma mais metódica. Passa a entender que as coisas podem ser classificadas, por exemplo, sabe o que é comida e o que é animal, seja ao vivo ou em um livro. Fala "mamá" e"papá" sem distinção de quem é a mãe ou o pai. Engatinha, aponta objetos, procura objetos escondidos, usa o polegar e dedo indicador para segurar objetos.
- 46 semanas (quase 11 meses): o bebê percebe que existe uma ordem nas coisas e atitudes, por exemplo, que se colocam sapatos nos pés e brinquedos nos armários. Ganha então uma consciência de suas próprias atitudes. Ao invés de separar objetos, passa a juntá-los. Depois desse salto o bebê vai poder apontar para algo ou pessoa a pedido seu, vai querer ‘falar’ no telefone e enfiar chaves nos buracos de chave, procurar algo que você escondeu, tentar tirar a própria roupa. Fala "mamá" e "papá" para a mãe ou pai corretamente. Levanta-se por alguns segundos, movimenta-se mais, entende o "não" e instruções simples.
- 55 semanas (quase 13 meses): geralmente a fase em que o bebê começa a andar - um salto no desenvolvimento bem significativo. Fala mais palavras do que "mama" e "papa". Rabisca com giz.
- 64 semanas (quase 15 meses): o bebê combina palavras e gestos para expressar o que precisa, come com as mãos, esvazia recipientes, coloca tampas nos recipientes apropriados, imita as pessoas, explora tudo que estiver à sua frente, inicia jogos, aponta partes do corpo quando perguntado, responde a algumas instruções (por exemplo, “me dá um beijo”), usa colher e garfo, empurra e puxa brinquedos enquanto anda, joga bola, anda de marcha a ré.
- 75 semanas (17 meses): o bebê usa cerca de 6 palavras regularmente, gosta de jogos de imitação, gosta de esconder brinquedos, alimenta uma boneca, joga bola, dança, separa brinquedos por cor, formato e tamanho. Olha livros sozinho e rabisca bem.
Picos de crescimento
Picos de crescimento são fenômenos que se referem ao crescimento do bebê em si, e não ao seu desenvolvimento. Nos períodos de picos os bebês começam a solicitar mais mamadas do que o usual, pois precisam de mais alimento para crescer nesse ritmo agora mais acelerado. Então o bebê que dormia longos períodos à noite pode começar a acordar mais e solicitar mais mamadas. Esta necessidade geralmente dura de poucos dias a uma semana, seguido de um retorno ao padrão menor de mamadas, mas agora com o organismo da mãe adaptado a produzir mais leite.
É muito importante respeitar a demanda aumentada de mamadas, pois somente com a livre demanda é que a produção de leite materno se ajusta perfeitamente às necessidades do bebê.
(Artigo completo em http://guiadobebe.uol.com.br/fases-de-crescimento-e-desenvolvimento-que-modificam-o-sono-do-bebe-e-da-crianca/)

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Ser pai é uma dádiva de Deus

Posted by Caroline Ferreira | 2 comentários
Este é meu primeiro dia dos pais, é um sentimento sem igual. Com 15 anos conheci uma mulher maravilhosa e já pensava em constituir com ela uma familia e aos 17 anos dei o primeiro passo, desde então desejava um filhinho(a), tanto que até pensava em nomes e imaginava como ele(a) seria. Mas foi agora com 22 anos que vim saber realmente o que é uma família e até me emociono, é algo divino, vi meu filho nascer e agora com seus 3 meses de vida vejo seu sorriso, seu sussurro tentando falar e isso tudo é muito gratificante é surreal. Ele é a continuação da minha geração, um pedaço de mim que em breve estará andando por aí. Não tenho palavras, não sou bom com elas como minha esposa Caroline, mas digo que sou um homem muito feliz agora com meu sonho realizado e quero que um dia meu filho leia esse texto que estou escrevendo e saiba que sempre foi muito desejado e muito amado por nós. Quero também agradecer primeiro a Deus que me concedeu esse enorme e tremendo presente e por ter me dado esse mesmo presente saudável, perfeito e muito tranquilo, agradecer minha esposa por ser parte deste sonho, torná-lo possível e por ser uma mãe tão dedicada, amorosa e responsavél, costumo dizer que quero ser um pai igual a mãe que ela é, e filho obrigado por me tornar conhecedor desse sentimento tão bom que é ser pai, diferente de tudo que imaginei que pudesse existir, não sei bem como descrever, mas um dia eu serei avô,você será papai e irá saber e entender tudo o que sinto agora. Filho te amo muito, que Deus te abençõe e guarde sempre. Bruno Riesi

3 meses!

Posted by Caroline Ferreira | 4 comentários
Puxa vida, meu "pequenininho" já não está mais tão pequenininho assim... rsrs
Ontem 10-08 comemoramos o 3º merversário do Calê e mais uma vez repito: -O tempo está passando depressa demais! E isso me faz sentir uma necessidade absurda de curtir, aproveitar ao máximo cada um desses dias do meu baby e não deixar nada passar despercebido.
Adoro vê-lo crescer forte e saudável, amo acompanhar seu desenvolvimento sim, mas ainda a pouco estava fazendo o que vinha adiando há algum tempo, estava reorganizando suas roupinhas, separando as que já não servem mais e dando o lugar às que passaram a servir... Nunca pensei que organizar gavetas pudesse ser tão emocionante rsrs Jamais imaginei que alguém pudesse chorar enquanto as organiza... eu chorei.
Filho você está cada dia mais esperto! Já ergue a cabeça quando está de bruços (embora não goste muito dessa posição). Desenvolve e pratica muuuuuito seu "Calebês" batendo altos papos com a mamãe todos os dias! Você está bem mais calmo, fica quietinho no carrinho me olhando e conversando enquanto cuido de suas roupinhas e da casa. Ama assistir tv e até interage com ela hahaha A hora do seu banho virou uma bagunça: a mamãe acaba sempre saindo mais molhada que você! rs Não tira mais essas mãozinhas da boca, por vezes tenta colocar as duas ao mesmo tempo! rs É nítido quando quer dormir, fica esfregando os olhos e chora um chorinho dengoooso rsrs Quando está com fome seu choro é bem alto e forte! Pequeno você já dorme até 5hrs seguidas, mas ainda acorda querendo leitinho no meio da noite, quanto a suas cólicas, elas diminuiram sim, mas insistem em nos incomodar e te causar dor ao amanhecer; mas não se preocupe filho, a mamãe desperta, se levanta e de uma maneira ou de outra as alivia e cuida de você viu? Filhotinho pesamos você ontem: 5.800kg e 58cm! Fiquei muito feliz com esses números, você engordou 950gr e cresceu 3cm! E sabe o que isso significa? Que você continuará mamando somente meu leitinho!
Te amo muito querido, é impossivel tentar descrever o quanto..!
Mil beijinhos nas suas gordurinhas de bochechas!!!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Sobre amamentação [editado]

Posted by Caroline Ferreira | 5 comentários
Já faz um tempo que sinto vontade de escrever sobre amamentação, mas sempre por um motivo ou outro o post foi sendo adiado. Bom, como estamos na Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) que acontece todo ano de 1 a 7 de agosto, vou aproveitar o momento escrevendo minha experiência até aqui. Durante a gravidez eu não idealizei muita coisa sobre parto, maternidade, rotina, criação de filhos, sempre deixei para experimentar as possibilidades na prática, procurei viver intensamente aqueles 9 meses me ocupando com outras coisas, como a saúde do bebê, exames, enxoval, quartinho e tudo o mais que vocês conhecem bem. Até que em um dia de trabalho, minha cliente me pede licença, se senta em um puff no canto da loja com o filho chorando nos braços, desabotoa a blusa e começa a o amamentar. Como que em um passe de mágica o chorinho dele (Gabriel, ainda me lembro o nome) cessa, a expressão daquele rostinho lindo muda, ele sugava com tanta vontade que me desencadeou um bocado de perguntas em cima daquela mãe que amamentava seu filho pertinho de mim, e me fez entender porquê ela me pediu para ajudá-la a escolher blusas com botões na frente assim que chegou na loja rsrs. Enquanto ela tirava minhas dúvidas admirava nostálgica minha barriguinha que começava a aparecer e eu a admirava ansiosa alimentar seu bebê, que para finalizar, soltou o peito e abriu um sorrisão gostoso que ficou na memória da ex-grávida recém-mamãe aqui até hoje rsrs
Desde então amamentar passou a ser um ideal para mim. Procurei me informar, descobri todos os benefícios que a amamentação proporciona para a saúde física da mamãe e do bebê, além da emocional, vínculo, contato, a capacidade que uma mãe possui de nutrir seu filho através do seu próprio corpo, bem como era quando ele ainda estava dentro dela. Me maravilhei!
Todo ideal planejado nos faz correr o belo risco da frustação. Eu, gestante, vivia me auto questionando se seria capaz ou não de alimentar meu pequenino por mim mesma. Sempre tive seios pequenos e eis que o terrível monstro da adolescência que havia sido vencido até então voltou a me atormentar. Foram inúmeras conversas com a GO no pré-natal, que sempre esclarecia que o tamanho do seio não influia em nada a capacidade de amamentar etc etc etc, no fundo eu sabia, mas era bom ouvir rsrs Fiz o que ela aconselhou, comprei esponja vegetal e dá-lhe sol na pequena peitaria! haha Também sempre me lembrava de incluir nas minhas orações a parte "e que eu tenha muuuito leite, amém." rs
Não sei se foi a esponja vegetal ou o sol, mas com certeza tem um dedinho de Papai do céu, Caleb nasceu, emoção a flor da pele, e como manda o figurino nas primeiras horas de vida uma senhorinha enfermeira, amor em pessoa, o trouxe para mamar, ela me ajudou bastante, ensinou a pega correta e logo aquele serzinho estava ali sugando forte como se tivesse feito aquilo a vida toda! rsrs No princípio a todo momento eu oferecia o seio a ele, a informação era de que quanto mais ele sugasse, mais leite eu produziria, até que no ápice da agonia entre o 3º e o 4º dia meu leite desceu com tudo! Yes!!!
Mas nem tudo são flores, no início ele demorava horas para mamar, tive fissuras no bico dos seios que quase chegaram na carne viva, os seios sempre muito cheios faziam com que as primeiras sugadas doessem horrores, então meu marido ciente da minha vontade de amamentar comprou uma pomada para ajudar a cicatrizar as fissuras e minha mãe, também ciente, comprou um protetor de seio de silicone bem fininho. Eles salvaram a pátria! Era ruim ter que ficar passando a pomada e lavando o seio sempre que o Caleb fosse mamar, mas de fato ajudou e muito a cicatrização, o protetor também foi excelente, diminuiu bastante a dor na hora das mamadas. Porém eu e o Caleb ainda não estávamos ajustados, eu tinha MUITO leite, que por sinal começou a empedrar, tive febre alta, os seios ficavam enrijecidos, quentes, eu trocava de roupa várias vezes ao dia de tanto que vazavam. Comecei então a fazer a tal ordenha de alívio e usar conchas anti-empedramento, realmente aliviam e com as conchas passei a sujar menos roupa também. No começo eu tinha uma vergonha absurda de amamentar em público, em casa sempre ia pro quarto e ficava lá eu o Calê e Deus até o fim da mamada, atualmente já amamentei na rua, na loja, no restaurante, na fila do banco, casa de amigos e até em um casamento semana passada, sempre com um auxílio de uma fraldinha claro, vida social ativa meu bem! rsrs E no fim é só ser discreto que ninguém nem percebe, as vezes tentam tirar a fraldinha do rosto dele e eu recoloco explicando: Tá mamando! rsrs
Confesso que por vezes pensei em desistir, houve um pico de crescimento no primeiro mês e o Caleb passava o dia pendurado no peito e com o sono muito leve, cheguei a pensar que meu leite não estava o sustentando mais, mas alguns dias depois tudo normalizou e no fim do mês a surpresa: 5cm e 900gr a mais! O ped explicou que é normal e vez ou outra esses picos vão aparecer. Outro fator que me tentou a comprar uma latinha de Nan foi eu me sentir muito presa em casa por conta de o Caleb mamar exclusivamente LM, aprendi então que posso tirar leite e guardar na geladeira por 12hrs ou até congelar por 12 dias, demora absurdo para ordenhar leite, mas decidi fazê-lo e não substituir essas gotinhas preciosas por nada para meu bebê e vem dando certo, depois é só esquentar em banho maria fora do fogo e o resultado é bebe saciado mesmo com mamãe fora de casa. Ainda um outro motivo é a alimentação da mãe, tem que abolir muita coisa da dieta quando estamos amamentando, mas de tudo isto é o mais fácil, difícil é ter que aguentar pitaco do mundo julgando tudo o que você faz com o seu filho!
Praticamente 3 meses depois o ajuste entre nós é perfeito! Sinto que o peito começa a enrijecer, querendo vazar e lá está meu Calê aos berros de fome rsrs Agora ele já mama BEM mais rápido e meio que a livre demanda, nunca marquei horário certo porque acho que por enquanto ainda é cedo para ele entender a diferença entre almoço e jantar, mas logo iniciarei uma rotina e isso será feito. Pretendo continuar amamentando meu filho com leite materno exclusivamente até os seus 6 meses, desde que ele continue saudável, crescendo e ganhando peso como tem sido até hoje, e ao mesmo tempo cuido para que nosso momento continue sendo prazeroso e não vire uma neurose.
Apoio e incentivo a amamentação sim, mas não julgo nem desrespeito quem não quis, ou por algum motivo não pôde amamentar, sei que este é um assunto delicado e complexo, sei também que temos disponíveis leites amaternizados excelentes, é do meu conhecimento que algumas mães se sacrificam para comprá-los, afinal são bem caros, em nenhum momento mencionei que uma mãe que dá mamadeira para seu filho é menos mãe ou o ama menos por isso, apenas quis compartilhar minha experiência com todos.
Posso dizer que sou uma vaca realizada! rsrs Neste momento enquanto escrevo ele está aqui à tiracolo fazendo o que há de mais sagrado para ele: Mamando! E sim, é uma de-lí-ci-a, é contato, pele, é meu próprio corpo nutrindo meu filho, fazendo com que cresça, se desenvolva, ganhe peso! Durante algumas mamadas fico na net, outras corto as unhas deles (sim desenvolvi uma técnica especial para isso), limpo suas orelhinhas hahahaha mas sempre de tardezinha me deito com ele, faço carinho, conversamos rsrs, ele fica com aquele olhão arregalado me encarando, eu o encaro de volta, olho no olho, cumplicidade, o tal vínculo...
A cena não tem nada a ver com o que vemos na televisão, com as globais em suas lindas camisolas de seda e hobby esvoaçantes arrastanto pelo chão, cabelos arrumadíssimos e maquiagem impecável. A cena é bem outra, uma mãe com a expressão cansada, blusas largas ou de botão, com o cabelo amarrado para cima, e a maquiagem... o que é isso mesmo??? rsrs Meu bebê não faz questão de muita coisa, é o nosso momento e é recompensador, dias atrás, no fim da mamada, eu ganhei um sorrisão, igual aquele do Gabriel rsrs e meus olhos marejaram...

Vacinação - Segunda Etapa

Posted by Caroline Ferreira | 0 comentários

Estamos perto da segunda etapa da campanha, que acontece em 13 de agosto.

Lembrem-se que todas as crianças menores de 5 anos vacinadas na primeira fase, devem retornar ao posto de vacinação para receber a segunda dose de gotinhas contra a pólio.

E tem mais: de 13 de agosto a 16 de setembro, será realizada a vacinação contra o sarampo. Neste período, todos os pimpolhos de 1 ano a menores de 7 anos devem se imunizar, mesmo os que já tomaram a vacina.

A vacinação contra o sarampo acontecerá apenas nos seguintes estados: AC, AM, AP, DF, ES, GO, MA, MS, MT, PA, PB, PI, PR, RN, RO, RR, SE, SC e TO.

Fiquem atentos e levem seus filhos!

Beijos mamães!
 

Designed by DragonArtz | Author by Caroline Ferreira :)